Acessar o site
ENEM Física Química Vestibulares

Radioatividade: Decaimento Radioativo e Meia Vida

O decaimento radioativo pode ser alfa ou beta. Mas você sabe diferenciar cada um deles? Ou ainda, como e quanto tempo demoram os decaimentos radioativos? Entenda tudo isso nesse post!

Autor Representação de uma pessoa Ana Maria Data Representação de um calendário 22/08/2019 Tempo Representação de um relógio 6min  de leitura

O Decaimento Radioativo é o fenômeno responsável pela radioatividade: a emissão de radiações nucleares por núcleos instáveis de alguns elementos químicos pesados. Mas como ele acontece? E o mais importante… Por quê?

Imagem de uma minério de Urânio, um dos elementos químicos naturalmente radioativos.
Minério de Urânio, elemento naturalmente radioativo

Os núcleos dos átomos são constituídos de prótons, partículas de carga positiva, e nêutrons, que não têm carga. Essas partículas subatômicas permanecem unidas pela força forte, que é muito intensa a curto alcance.

Porém, quando o núcleo de um átomo é muito grande e não tem nêutrons suficientes, a força forte não consegue manter todos os prótons unidos. Isso acontece porque a repulsão entre as cargas positivas dos prótons é muito grande, e a força forte já não é tão forte assim.

Assim, temos um núcleo instável. Esse núcleo instável passa então pelo processo que chamamos de Decaimento Radioativo, emitindo radiação. A emissão dessa radiação é capaz de alterar o número de prótons de um elemento químico – que é transmutado em outro.

Como acontece o Decaimento Radioativo?

Os decaimentos podem ser de três tipos: alfa, beta e gama. Cada um deles corresponde à uma partícula radioativa diferente, que altera o núcleo do átomo emissor de acordo com suas características.

Demonstração de um decaimento radioativo, onde um núcleo de um átomo grande emite partículas radioativas.
Núcleo emitindo diversas partículas radioativas

Decaimento alfa: nela, o núcleo instável emite uma partícula alfa, que é um núcleo de Hélio. Como sabemos da tabela periódica, o Hélio tem dois prótons e dois nêutrons. Assim, o elemento perde 4 de massa, tendo seu número atômico diminuído em 2.

Decaimento beta: a partícula beta é um elétron ejetado de um nêutron. Como elétrons não têm massa, ela também não tem. O elemento radioativo tem um nêutron transformado em próton, então aumenta seu número atômico em 1.

Cada elemento radioativo passa por um tipo de decaimento a uma certa taxa. Medimos essa taxa de decaimento através do chamado tempo de meia vida, que aparece muito nos vestibulares!

Tempo de Meia Vida

O tempo de meia vida está relacionado à taxa de decaimento de determinada amostra. Ele é o tempo necessário para que metade da quantidade de átomos do elemento radioativo de uma amostra decaia.

Por exemplo, se há 10 átomos radioativos em uma amostra, o tempo de meia vida será o tempo decorrido até que 5 átomos tenham decaído. Depois, dizemos que mais uma meia vida passou quando 2,5 átomos tenham decaído; depois, 1,25, e assim sucessivamente.

Exemplo de decaimento de uma mostra radioativa.
Decaimento de uma amostra radioativa

À medida que o decaimento progride, a quantidade de átomos radioativos diminui pela metade, para cada período P. Assim, a relação matemática fica:

Onde n é a quantidade final de átomos na amostra. Já n0 é a quantidade inicial, e x é o número de períodos de meia vida decorridos. A quantidade de átomos pode ser dada em massa, em mol ou porcentagem sendo todos diretamente proporcionais.

Essa relação matemática produz um gráfico com o perfil mostrado abaixo, para o Césio-137. Com ele, podemos saber como o Césio-137 decai a 50% da amostra inicial ao longo de 35 anos. Assim, sabemos que esse é o tempo de meia vida do Césio-137.

Gráfico sobre o decaimento do Célsio 137.
Gráfico sobre o decaimento do Célsio-137

Mas é claro, o Césio não é o único elemento radioativo! Os elementos radioativos na natureza estão em porcentagens bem pequenas, justamente por conta de seu decaimento: quanto mais decaem, menos elementos radioativos há na Terra. Ainda assim, existem isótopos radioativos de vários elementos estáveis da Tabela Periódica.

Elementos Radioativos

Veja abaixo. As cores representam os tempos de meia vida dos elementos. Os elementos em cinza são chamados Elementos Primordiais. Esses elementos não são radioativos, têm o tempo de meia vida de bilhões de anos.

Elementos radioativos da tabela periódica
Elementos radioativos da tabela periódica

Os elementos em verde já são considerados radioativos, pois têm os tempos de meia vida mais curtos. Os elementos em amarelo já têm os tempos de meia vida de poucas centenas de anos! Os elementos em azul chegam a ser tão radioativos que têm os tempos de meia vida de cerca de um dia. E o roxo mostra quais são os elemento sintéticos que existem por frações de segundo antes de se desintegrarem.

Preparamos um material exclusivo com 10 questões sobre este assunto para você ficar fera na hora das provas! Preencha os dados abaixo, e faça o download gratuitamente:

eBook: Decaimento radioativo e Meia vida.

Preencha seus dados abaixo e baixe nosso material.

Seu eBook foi enviado para o seu e-mail.
Não deixe de checar sua caixa de SPAM e seguir o @biologiatotaloficial nas redes sociais. Bons estudos 🙂

Quer saber como esse assunto cai no ENEM e nos vestibulares? Baixe nossos exercícios de Radioatividade e não deixe de participar do nosso minicurso de Radioatividade!. Com ele, tenha certeza que você vai detonar na hora da prova.