Acessar o site
Biologia ENEM Vestibulares

Darwin e Lamarck: o que dizem suas teorias?

Darwin e Lamarck expressaram suas crenças sobre o conceito de adaptação e evolução dos indivíduos, e é importante que a gente saiba as similaridades e diferenças na teoria de cada um.

Autor Representação de uma pessoa Bruna Data Representação de um calendário 25/04/2019 Tempo Representação de um relógio 7min  de leitura

Logo que começamos a estudar evolução, nos deparamos com as teorias evolutivas de Darwin e Lamarck. Sabemos que Lamarck, o primeiro a aparecer nas aulas de evolução, se enganou. Sua teoria não estava certa mas foi utilizada ao longo dos anos por diversos outros evolucionistas. Afinal, pela primeira vez alguém estava falando evolução a partir de observações, e isto merece crédito!

Hoje, consideramos a teoria de Darwin! De uma forma diferente, ela explica a mesma coisa que Lamarck tentava explicar: o conceito de adaptação dos indivíduos.

Se você vai fazer o ENEM e/ou vestibulares, é importante saber as similaridades e diferenças entre as teorias de Darwin e Lamarck!

Quem foi Lamarck?

Lamarck, pesquisador que propôs uma Teoria da Evolução

Jean Baptiste Lamarck começou a estudar botânica e medicina em 1763 e logo se tornou um expert no assunto. Logo depois de lançar um livro sobre as plantas da frança, ele foi indicado para ser professor de invertebrados do Museu Nacional de História Natural.

Assim que recebeu a indicação, Lamarck não possuía conhecimentos no assunto. Com muito trabalho duro e estudo, ele se destacou no novo campo!

Aliás, ele não só se destacou, como foi o primeiro pesquisador a separar o filo dos crustáceos, aracnídeos, anelídeos e o insetos, que antes eram agrupados todos juntos.

Ao longo dos anos, o pesquisador que perdeu a visão, Lamarck lutou contra a pobreza e morreu em 28 de dezembro de 1829, cego,  em um cemitério alugado.

Lamarckismo: o que Lamarck acreditava?

Na Teoria dos Caracteres Adquiridos, Lamarck dizia que se um organismo tivesse a vontade ou a necessidade de mudar ao longo da vida, e mudasse para se adaptar ao ambiente, essas mudanças seriam transmitidas para a sua prole.

Por exemplo, elefantes de troncos curtos poderiam adquirir troncos longos para poder alcançar a água e os galhos altos. Além disso, esta característica – troncos longos – seria transmitida aos seus filhos. Este conceito foi chamado de “A primeira lei”.

Lamarck defendia também a Lei do Uso e Desuso (ou Segunda Lei). Nela, as partes do corpo que não estivessem sendo usadas, desapareceriam gradualmente. Um exemplo? O apêndice humano.

Elefantes de troncos curtos e longos, da teoria de Lamarck.

Quem foi Darwin?

Charles Darwin, evolucionista que propôs a seleção natural.

Antes de se tornar o evolucionista mais conhecido no mundo, Charles Darwin cursou medicina (ainda que não tenha concluído a graduação). Sem uma ocupação fixa, aos 22 anos, em 1831, Darwin ingressou em uma viagem a bordo do navio Beagle, como naturalista (apesar de não ter qualificação comprovada para isso).

Ao longo de 5 anos ele coletou rochas, fósseis e animais, sempre que o navio fazia paradas. Seu material era enviado para a Inglaterra e paralelo às coletas realizados, Darwin escreveu um diário.

Darwin voltou da sua viagem tendo a certeza as espécies poderiam sofrer mudanças ao longo da vida. Após ler um livro de Thomas Malthus, onde o autor falava que as populações crescem geometricamente até que sejam impedidas, o seu interesse nessa curiosidade tornou-se ainda maior.

O Darwinismo

Para Darwin, as mudanças de um indivíduo ao longo da vida não tinham relação com os seus desejos e vontades. Ele considerava que organismos de uma mesma espécie poderiam ser diferentes, e que essas variações os ajudariam a sobreviver no ambiente que vivem.

Se tomarmos os elefantes como exemplo novamente, os que possuíssem troncos longos sobreviveriam e se reproduziriam, transmitindo esses caracteres aos seus descendentes. Já os elefantes de tronco curto morreriam, sem transmitir este traço à prole. Darwin acreditava que a evolução ocorre sem qualquer tipo de plano, ao acaso.

Ou seja, o Darwinismo defendia dois conceitos importantes que estudamos hoje. O primeiro,  a ancestralidade comum, afirmava que todos os seres vivos compartilham um ancestral comum, em algum lugar do passado. O segundo, a seleção natural, diz que os indivíduos mais adaptados a um determinado ambiente, possuem maiores chances de se reproduzir e se sobreviver.

O que os Darwin e Lamarck tinham em comum?

Apesar da distinção das duas teorias, Darwin e Lamarck acreditavam que a vida estava mudando com o passar do tempo, e que os seres vivos também estavam e precisavam se adaptar ao ambiente. Além disso, compartilhavam a ideia de que a vida evoluiu de organismos mais simples para mais complexos.

Por que acreditamos em Darwin hoje?

Ainda que acreditemos em Darwin, suas ideias não eram totalmente modernas. Na sua teoria, ele rejeitou vários conceitos que aprendemos hoje ao estudar sobre hereditariedade. De qualquer forma, esta é a teoria aceita hoje e você deve tê-la em mente.

Quanto a Lamarck, é fácil entender que as alterações que são feitas em um indivíduo ao longo da vida, não são transmitidas para a prole. Se tivermos um órgão amputado, nossos filhos não virão sem esse órgão, como acreditava Lamarck.

Após os estudos de Mendel, descobrimos que as características são transmitidas através de genes. E que estes genes não são afetados pela nossa própria vontade, como pensava o naturalista.

Darwin e Lamarck merecem créditos

Ainda que as teorias de Lamarck tenham sido contestadas, sua importância na construção de teorias evolutivas na época foi fundamental! Ele dedicou a sua vida aos estudos das ciências, em diversos campos. Isso permitiu que a comunidade científica da época construísse teorias e conceitos que são aceitos até hoje.

Fonte: New England Complex System Institute,PUC,  USP.

PALAVRAS-CHAVES: Darwin Evolução Lamarck Seleção Natural