Acessar o site
ENEM

ProUni: Programa Universidade para Todos

Foi divulgada hoje, 6 de janeiro, a primeira chamada dos pré-selecionados do ProUni. Neste 1º semestre, serão oferecidas mais de 243 mil bolsas de estudo de ensino superior, em mais de 1.239 instituições privadas. Confira como funciona o Programa e tire todas as suas dúvidas!

Autor Representação de uma pessoa Bruna Data Representação de um calendário 06/02/2019 Tempo Representação de um relógio 11min  de leitura

As inscrições no ProUni movimentaram os estudantes neste primeiro semestre. Afinal, quem não quer estudar em uma boa instituição de ensino superior? De acordo com dados do Ministério de Educação, cerca de 950 mil estudantes se inscreveram no Programa e concorrem a uma das 243 mil bolsas de estudo ofertadas. São oferecidas bolsas de estudo, integrais e parciais, em instituições privadas de ensino superior do Brasil. Para que você entenda como funciona o ProUni, nós unimos todas as informações que você precisa para não ficar com dúvidas em 2019!

O que é o ProUni?

O Programa Universidade para Todos (ProUni, para os íntimos), é um dos programas do Ministério de Educação que existe desde 2004. Seu principal objetivo é oferecer bolsas de estudo, sejam elas integrais ou parciais, em instituições particulares de ensino superior. Estão incluídos cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros que não possuem diploma de ensino superior.

Como funciona o ProUni? Quem pode participar?

Ao contrário do Sisu, onde todos que fizeram a prova do Enem, podem participar, para concorrer à uma bolsa de estudos do ProUni, o candidato deverá cumprir alguns requisitos.

Requisitos

– Não ter diploma de curso superior, ou seja, não ter concluído nenhum curso de ensino superior;

– Ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, do ano anterior;

– Ter alcançado pelo menos 450 pontos na média das notas gerais (a média entre as notas de Redação, Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza) e ter tirado acima de zero na redação.

Lembrando que além da nota do ENEM, o candidato deve também atender a alguns critérios socioeconômicos, que listaremos em seguida.  

Quem tem direito à bolsa integral?

Para concorrer à uma das bolsas integrais de estudo, o candidato deve possuir renda familiar bruta mensal (o somatório do salário, incluindo os benefícios, dos moradores de uma mesma casa) de até 1 salário mínimo e meio por pessoa. Portanto, se uma casa possui 3 moradores, que juntos ganham 4 mil reais, a média para cada membro é de 1.333 reais. Logo, se um membro desta família quisesse concorrer à uma das bolsas integrais, ele teria direito, levando em consideração que 1 salário mínimo e meio seria o valor de 1.442 reais.

Quem pode concorrer à uma das bolsas parciais?

Se o candidato quiser concorrer à uma das bolsas parciais (50%), a sua renda bruta mensal familiar deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa. Além disso, ele deverá se enquadrar em pelo menos uma das condições abaixo:

– Ter cursado o ensino médio em escola pública;

– Ter cursado o ensino médio completo em escola de rede particular, na condição de bolsista integral da própria escola;

– Ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em escola da rede particular, na condição de bolsista integral da escola particular;

– Possuir alguma deficiência;

– Ser professor da rede pública de ensino, ou estar no efetivo exercício do magistério da educação básica, ou integrar o quadro permanente de funcionários de uma instituição pública, e concorrer exclusivamente à bolsas nos cursos de licenciatura. Nesta condição, não há requisito de renda.

Atendo aos critérios do ProUni. Como posso me inscrever?

As inscrições no ProUni ocorrem duas vezes no ano. No primeiro semestre, ocorre nos meses de janeiro e/ou fevereiro. No segundo semestre, nos meses de junho e/ou julho. A inscrição é gratuita e deve ser realizada exclusivamente pela internet, no site do ProUni.

Lembrando que você não precisa realizar uma nova prova para concorrer à uma das vagas! Contudo, se você for selecionado, a instituição de ensino poderá submetê-lo a algum processo específico (que não será cobrado), por exemplo.

A inscrição

No ato da inscrição, o candidato informará o número da inscrição e a senha utilizada no ENEM. É nessa hora que o candidato escolhe até duas opções, entre cursos e universidades disponíveis, que mais combinam com o seu perfil.

Ahh, se você possui alguma deficiência, ou se declarar como indígena, negro ou pardo, poderá optar por concorrer às bolsas destinadas às ações afirmativas.

Depois que a escolha foi feita, o candidato poderá alterar suas opções até que o sistema encerre. A última opção será considerada válida.

Dica Matadora!

Para aumentar suas chances de conseguir sua bolsa de estudos, recomendamos que, assim como é feito no Sisu, o candidato realize um monitoramento diário da nota de corte dos cursos escolhidos. Caso seu desempenho esteja muito abaixo da nota de corte, pense se vale a pena trocar de curso, concorrendo à uma vaga menos disputada, mas com mais chances de bolsa.

Quais universidades participam do ProUni?

Mais de 2.200 instituições participam do ProUni. Para verificar se a universidade onde você almeja uma vaga fica nessa lista, clique aqui!

Realizei minha inscrição, e agora?

Agora o sistema do ProUni irá classificar os candidatos de acordo com as opções de curso escolhidas e com a nota no Enem.

Divulgação do resultado

Os resultados serão divulgados na data determinada pelo cronograma. Serão realizadas duas chamadas sucessivas, que são publicadas no site do ProUni e nas instituições participantes do programa.

Os candidatos pré-selecionados (cada candidato é selecionado em apenas uma das opções de curso escolhida), têm um prazo para comparecer às instituições com os seus documentos, comprovando todas as informações colocadas na inscrição.

É importante ressaltar que para garantir o direito à bolsa, o estudante deverá frequentar regularmente as aulas e conquistar a aprovação em todos os semestres do curso.

Alunos que ingressam no ensino superior através do ProUni, e conquistam bolsas de estudo, devem frequentar as aulas assiduamente, além de manter bom desempenho acadêmico. Caso contrário, podem perder o direito à bolsa.

E se houver empate?

Caso 2 candidatos obtenham notas idênticas, o desempate acontecerá de acordo com a ordem de critérios abaixo:

– Nota mais alta na prova de Redação;

– Nota mais alta na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;

– Nota mais alta na prova de Matemática e suas Tecnologias;

– Nota mais alta na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias;

– Nota mais alta na prova de Ciências Humanas e suas tecnologias.

Não foi chamado? Não houve formação de turma no curso que você queria?

Calma, você poderá participar da lista de espera!

Para isso você deverá acessar o site do ProUni, e manifestar seu interesse na lista de espera, dentro do prazo estipulado no cronograma. Neste ano, em 2019, o interesse na lista de espera deverá ser manifestado nos dias 8 e 9 de março.

Lista de Espera: Primeira opção

Para participar exclusivamente da lista de espera da sua primeira opção, o candidato não poderá ser pré-selecionado em nenhuma chamada regular. Candidatos que tenham sido pré-selecionados na sua 2ª opção, em um curso onde não houve formação de turma, poderão participar também.

Lista de espera: Segunda Opção

Enquanto que, para a lista de espera da segunda opção, poderão participar os candidatos que não foram chamados em nenhuma das chamadas anteriores (por não haver formação de turma ou por não haver bolsa na primeira opção de curso escolhida). Ou candidatos que foram chamados na sua primeira opção, mas que não ingressaram na instituição por não haver opção de turma.  

Quais as diferenças entre o ProUni e o Sisu?

Em resumo, o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) trabalha com instituições públicas de ensino superior, enquanto que o ProUni trabalha com instituições de ensino superior, cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas, com estudantes brasileiros que ainda não possuem diploma.

Quem se inscreveu no Sisu, também poderá se inscrever no ProUni (caso tenha os requisitos necessários). Ambos trabalham do mesmo modo e utilizam a nota Enem para poder ofertar suas vagas. Além disso, cabe ressaltar que não é permitido que um mesmo aluno esteja simultaneamente matriculado em instituição pública e privada gratuita.

E entre o ProUni e o FIES?

Caso o estudante seja contemplado com uma bolsa de estudos parcial, ainda que não tenha condições de custear a outra metade do curso, o FIES poderá ajudá-lo. O FIES poderá ser o responsável pelo financiamento da outra metade do seu curso! Quer entender como isso funciona? Saiba mais aqui!

E agora?

E aí, conseguiu entender tudo ou ainda restam dúvidas? Tenha em mente como funciona o ProUni, pois ele é um instrumento importantíssimo de acesso ao ensino superior, e certamente deve ser aproveitado, assim como o Sisu.

Hoje, ter ensino superior é uma oportunidade importante para se ter melhores ganhos salariais, maior desenvolvimento pessoal e profissional, além do importante papel social que a convivência uma universidade, proporciona. E aí… Bora estudar para conquistar a tão sonhada vaga?

Ter ensino superior, é muito mais do que ter um diploma. A formação em uma universidade proporciona o desenvolvimento profissional e pessoal de uma pessoa, além de muitas vezes garantir uma boa renda. Hoje, no Brasil, o Sisu e o ProUni estão entre os principais métodos de entrada em uma boa universidade.

Fonte: Site ProUni

PALAVRAS-CHAVES: enem ensino superior ProUni Sisu universidade