Acessar o site
Atualidades Biologia

Abelhas: por que elas são tão importantes?

Com certeza você já viu uma abelha, certo? Esses pequenos insetos que são essenciais para a nossa vida, estão na Terra muito antes dos seres humanos. Porém agora, não temos mais a certeza que estarão aqui quando desaparecermos, e a culpa disso é nossa.

Autor Representação de uma pessoa Matheus Data Representação de um calendário 09/04/2019 Tempo Representação de um relógio 5min  de leitura

Um dos insetos mais populares do mundo, as abelhas, despertam amor e medo em muitas pessoas. Elas – que estavam aqui quando nós surgimos na Terra, mas não temos a certeza se estarão quando desaparecermos -, são uma das engrenagens mais importantes da vida como conhecemos. Mas afinal, você sabe a importância das abelhas?

Definindo uma abelha

Em diferentes cores, formatos e tamanhos, todas as abelhas, vespas e mangabas pertencem ao grupo de insetos chamados Hymenoptera. No Brasil existem mais de 3 mil espécies nativas de abelhas, sendo sua maioria sem ferrão. Muitas dessas produzem mel, entretanto aquele que comemos normalmente vem de uma espécie exótica, chamada de  Apis mellifera, conhecida popularmente como abelha-europeia.

Independente da sua origem, todas as abelhas têm uma relação muito importante com as plantas. Essa relação é tão próxima, que elas evoluíram juntas ao longo de milhares de anos, beneficiando-as da melhor forma possível.

Qual a relação entre as abelhas e as plantas?

Provavelmente, ao pensar em uma abelha, imaginamos ela entrando em flores ou pousando na nossa comida açucarada. Por mais surpreende que pareça, essas duas coisas têm muita relação e fazem parte do processo chamado de polinização.

Para entendermos isso, precisamos primeiramente fazer um super-resumo sobre a aulas de botânica. Nas flores existe uma parte feminina que tem um óvulo, e uma parte masculina que produz um grão chamado pólen. Para ocorrer a fecundação, esse grão de pólen precisa encontrar com o óvulo, e é exatamente nesse ponto que entra a importância das abelhas. São elas que fazem esse encontro em mais de 80% de todas as espécies de plantas com flores, que conhecemos.

A importância das abelhas para o meio ambiente está muito relacionada com a polinização

Qual a importância das abelhas, Jubilut?

Talvez nunca saberemos se as abelhas realmente entendem o quão importante é o seu trabalho para o meio ambiente. Contudo, nós sabemos que a polinização não é seu objetivo principal. Isso porque elas vão atrás de alimento, como o néctar das plantas! Esse açúcar é produzido na base das flores e é importante para muitos animais, incluindo as abelhas.

Com isso, ao entrarem na flor para sugar sua comida, as abelhas ficam cheias de grãos de pólen grudados em seu corpo. Acabando o néctar naquela flor, elas voltam a voar em busca de mais alimento, soltando muito desse pólen na próxima flor e , por consequência, criando uma semente no futuro.

A relação com agrotóxicos

Mesmo se conhecendo desde o final do século XIX os efeitos fatais dos agrotóxicos para as abelhas, apenas nos últimos anos as pesquisaram aumentaram. Estudos vêm demonstrando inegavelmente, que a quantidade de agrotóxicos necessária para a proteção das plantas é muito superior ao seguro para as abelhas. O resultado é óbvio: a morte de colmeias inteiras.

Com o sumiço dessas colmeias, muitos alimentos do nosso dia a dia podem sumir das prateleiras dos supermercados. Isto é um problema tão sério atualmente, que agricultores do mundo inteiro alugam caixas de abelhas para fazer suas produções.

Como mudar a situação?

Sem desespero! Estamos longe (porém, não tanto) de uma catástrofe mundial sem volta. Muitas pessoas estão trabalhando em diversas frentes, pensando na importância das abelhas. Por exemplo, a União Europeia, no início de 2018, proibiu totalmente três agrotóxicos muito agressivos às abelhas. Essa medida, levou diversos países a debaterem práticas similares e pressionarem para uma mudança global.

Está em nossas mãos o poder de mudar as coisas. Salvemos as abelhas!

PALAVRAS-CHAVES: Abelhas Agrotóxicos conservação polinização